Queridos leitores...

No blog Histórias da Sementinha reúno histórias Bíblicas infantis para serem trabalhadas com as crianças, meu intuito é cooperar para que a Palavra de Deus possa chegar às crianças de forma lúdica, eficaz e verdadeira.

As histórias contidas no blog foram coletadas na internet para o meu uso pessoal, com o tempo comecei a postar para deixá-las reunidas de forma a facilitar meu ministério diário, o que começou como uma simples coleção de histórias se espalhou e se tornou útil também para diversas pessoas, sendo mães, pais, avós e ministros do evangelismo infantil.

Estou completamente aberta à sugestões e críticas CONSTRUTIVAS. Se for encontrado no blog qualquer erro de ortografia, irregularidade ou histórias que estão em desacordo com a Bíblia Sagrada peço que entre em contato comigo para que eu possa imediatamente corrigir, me retratar ou excluir a postagem, peço a compreensão de todos e apesar do meu pouco tempo disponível para a manutenção deste blog, espero que ele seja diariamente um instrumento de bênção na vida das pessoas, principalmente àqueles que possuem pouco ou nenhum recurso para a divulgação do Evangelho de Jesus Cristo nosso Senhor.

Aproveitem as histórias, divulguem e não esqueçam de deixarem mensagens, farei questão de responder a cada uma!

Que Deus abençoe cada visitante! Para todos deixo o Salmo 139.

.

.

6 de agosto de 2013

Balaque e Balaão


Certa vez, há muitos anos atrás, viveu um profeta de Deus, chamado Balaão. Naquela época, não existia a Bíblia para que Deus pudesse falar com Seu povo, pois a Bíblia é a Palavra de Deus. Então.Deus usava um profeta, um homem com quem Ele falava, e que, depois transmitia a mensagem às pessoas.


Nas terras em que vivia Balaão, havia um homem muito rico chamado Balaque, que chefiava um grande poso. Um dia, Balaque mandou alguns homens chamarem Balaão, para que amaldiçoasse o povo de Deus, pois Balaque sabia que o que o profeta de Deus falasse aconteceria.
Se ele falasse palavras boas e amigas, aquele poço seria feliz e venceria todas as guerras e dificuldades. Mas, se ele maldiçoasse, ou seja, falasse palavras más, o povo perderia todas as guerras e seria infeliz.


Primeiro, Balaque mandou que os homens oferecessem muito dinheiro para que Balaão amaldiçoasse o povo de Deus. Balaão não concordou, mas Balaque continuou insistindo, até que Balaão foi ao seu encontro. Ele foi encontrar-se com Balaque, montado em sua jumenta, que é um animal parecido com o cavalo. Durante a viagem, a jumenta empacou, isto é, ficou parada e não saía do lugar, Balaão bateu muito na jumenta e ela desviou o caminho. Continuou a viagem e novamente a jumenta empacou. Balaão novamente bateu, bateu nela, e ela mudou de caminho. Porém, numa parte da estrada em que não havia para onde desviar, a jumenta tornou a empacar. Sabem por que a jumenta empacava? É que ela estava enxergando na sua frente um anjo com uma espada na mão. Se prosseguisse a viagem, o anjo os matéria, porém, Balaão não via o anjo, e bateu outra vez na jumenta. Então, Deus abriu a boca da jumenta para que ela pudesse falar, e ela disse: “ que eu fiz prá você, para você me bater três vezes?”
Balaão respondeu à jumenta: “Você está zombando de mim, queria eu ter uma espada na mão que lhe mataria, agora”.

E novamente a jumenta falou: “Por acaso não sou a sua jumenta? Em que você monta desde que era moço? Alguma vez eu lhe fiz isso? Alguma vez eu empaquei?”
E Balaão respondeu: “Não, você até hoje nunca empacou!”
Então, Deus abriu os olhos de Balaão e fez com que ele visse o anjo que estava na sua frente, com uma espada na mão.
Balaão se ajoelhou como rosto em terra, diante do anjo do Senhor, e o anjo lhe disse: “Por três vezes você espancou sua jumenta, sem motivos, pois ela me via e você não, se ela não tivesse desviado, eu o teria matado, ela salvou-lhe a vida”.
Balaão respondeu: “Pequei Senhor, me perdoa. Vou voltar a minha casa, não mais irei encontrar-me com Balaque”.
O anjo mandou que Balaão fosse encontrar-se Balaque, mas que só fizesse o que Deus ordenasse. Balaão foi e, ao invés de maldição, enviou ainda mais bênçãos ao povo de Deus.



O que Balaque queria que Balaão fizesse era falar palavras más contra o povo de Deus. Nós nunca devemos desejar o mal para as pessoas nem xingar os outros, pelo contrário, desejar sempre o bem e orar por aqueles que conhecemos e que estão sofrendo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recadinho!!!